O Sonho da Casa Própria

O SONHO DA CASA PRÓPRIA

O Sonho da Casa Própria

Como seria bom se nós humanos pudéssemos carregar as nossas casas nas costas. Evitaríamos muitos transtornos, como por exemplo aqueles gerados pelo cotidiano dos relacionamentos, a privacidade tão questionada e violada e até a arrumação. Imaginem então, se pudessem se recolher e sair dela a hora que bem entendessem, sem nenhuma porta para abrir e fechar. Nos agruparíamos em família e viveríamos em condomínios, fora o fato de ir daqui pra lá e de lá pra cá. Que maravilha! Mas esse privilégio é só das tartarugas, moluscos, entre outros seres escolhidos para viver carregando suas casinhas pelo mundo a fora.
Desde que deixamos as cavernas, para viver a evolução no sentido pleno, nos deparamos com a necessidade de construir o nosso patrimônio, e fizemos dos imóveis uma prioridade. Não existe um ser humano sequer, que desde a mais tenra idade, já não sonhe com sua casa. Nós meninas fizemos a nossa casinha com as bonecas, e os meninos correram edificar suas casas nas arvores, mas estávamos lá…inconscientemente já sonhávamos com a construção do nosso patrimônio.
Quantos foram os enamorados que em seus momentos de amor, não sonhou com a casinha branca de janelinhas azuis, o chalé na montanha ou a choupana naquela praia deserta.
Crescemos e aí sim, a necessidade aumenta, seja para morar sozinho, para casar, para aumentar a família ou simplesmente aplicar as suas economias em um investimento seguro, você vai com certeza revirar anúncios, entrar nos on-line das incorporadoras, rodar plantões nos finais de semana… E quando você realizar o primeiro sonho, já vai começar a sonhar com o up grade, com aquela sala comercial, e não vai demorar muito a encher os olhos de lágrimas quando vir também o seu filho realizando o seu sonho. É o seu sonho que vai alicerçar seus mais lindos anseios.
E pra encerrar fica uma frase do Charles Chaplin  que eu acho genial: ” Quando deixares de sonhar, poderás continuar vivendo, mas, com certeza, terás deixado de existir.”

Por  “Arilmey Freitas” Editora Chefe do Blog:

janela-da-candinha-logo1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + sete =